quinta-feira, 24 de junho de 2010

Orixás em Cuba


Segundo Nei Lopes, os orixás cultuados na Regla de Ocha são os seguintes:

Em Cuba, os orixás são cultuados no ramo mais importante da santería, conhecido como La Regla de Ocha. Dentro desta está incluido, como um ramo, La Regla de Ifá, referente à prática de adivinhação.

  • Orixás da criação do mundo e dos seres viventes:
    • Olófin, o aspecto criador por excelência, causa e razão de todas as coisas, personificação da divindade que se relaciona diretamente com os orixás e os humanos. Como ato preliminar da criação, criou Olodumare para dominar os espaços e Olorún para dominar a energia.
    • Olodumare, o Universo com todos os seus elementos, a manifestação material e espiritual de tudo quanto existe na Natureza.
    • Olorún, o Ser Supremo, a força vital e energia impulsionadora do Universo, manifestada pelo Sol que aquece e ilumina.
    • Odudua, pai de todos os lucumis, representa os mistérios e segredos da morte.
    • Boromú, que vive nos desertos, representa os ossos, o que resta do ser humano após a morte. Esposo de Euá.
    • Obatalá é o criador da Terra e escultor dos seres humanos, dono de tudo o que é branco, da cabeça, dos pensamentos e dos sonhos.
    • Oké é o orixá dos morros e montanhas, bem como de tudo o que é elevado e alto.
    • Ogán é o secretário de Odudua, dono da enxada, e forma uma trindade com Ogbón e Ogboni. É o orixá da inveja, avareza e egoísmo.
    • Ori ou Eri é o orixá pessoal, representando o espírito que mora na cabeça do ser humano.
  • Orixás guardiões, responsáveis pela guarda dos indivíduos e de suas casas:
    • Ikú, a morte, que vem buscar o humano quando é chegado seu dia e Olófin pede a sua cabeça.
    • Egun, que representa o conjunto dos espíritos dos mortos e está sob o poder de Odudua.
    • Eleguá, orixá que detém as chaves do destino, abrindo e fechando a porta à desgraça ou à felicidade e manifestando-se por mais de duzentos avatares, qualidades ou caminhos.
    • Ogún, dono dos minerais, montanhas e ferramentas e patrono de todos os que trabalham com o ferro.
    • Ochósi, patrono dos que têm problemas com a justiça, mago, adivinho, guerreiro, caçador e pescador.
    • Ósun, mensageiro de Obatalá e Olófin e sustentáculo dos poderes divinatórios e Orunmilá.
  • Orixás da natureza:
    • Osáin, dono da natureza, principalmente da flora.
    • Aja e Aroni, orixás ligados a Osáin e às plantas medicinais.
    • Orichaoko, orixá da terra, da agricultura e das colheitas.
    • Iroko, orixá da ceiba, bastão de Olófin.
    • Ochumare, orixá do arco-íris, serpente colorida que surge no céu como sinal de bênção.
  • Orixás da maternidade:
    • Yemayá, mãe da vida e de todos os orixás.
    • Dada Baldone, protetor dos recém nascidos e das crianças que nascem com os cabelos muito crespos ou encaracolados. Uma de suas qualidades é Obañeñe.
    • Ibeyis, protetores dos gêmeos, macho e fêmea, filhos de Changó e Ochún, criados por Yemayá.
    • Kori Kotó, orixá feminino da fertilidade e da procriação, protetora das crianças que nascem predestinadas.
  • Orixás das águas:
    • Ochún, mulher de Changó, amiga íntima de Eleguá, é o orixá da feminilidade, símbolo da coqueteria, da graça e da sexualidade femininas.
    • Inle, patrono da medicina, protetor dos médicos, dono dos rios e amigo inseparável de Abatá.
    • Ologun Edé, filho de Inle e Ochún.
    • Olokum, dono do oceano, metade homem, metade peixe.
    • Olosá, irmã e mulher de Olokum, dona dos lagos e lagoas.
  • Orixás do fogo:
    • Aganyú Solá, um gigante, divindade da terra seca, dos desertos e dos vulcões, protetor dos caminhantes.
    • Changó, orixá do fogo, do raio, do trovão e da guerra, mas também da dança, da música e da beleza masculina.
    • Ogué, companheiro de Changó, protetor de todos os animais com chifre.
    • Oroiña, manifestação do fogo universal, o centro incandescente do globo terrestre, onde nascem os vulcões e os terremotos.
  • Orixás da adivinhação:
    • Orumilá ou Orunlá, orixá da adivinhação, reverenciado no culto de Ifá.
    • Chugudú, uma espécie de Exu, só invocado em ocasiões muito especiais.
    • Orungan, orixá do meio-dia.
  • Orixás da saúde e da morte:
    • Oyá Iansá, dona dos raios, dos temporais e dos ventos, de caráter voluntarioso e violento. É também dona do cemitério. Além de ter grande poder sobre os eguns, domina os quatro ventos juntamente com Eleguá, Orunlá e Obatalá.
    • Oba, orixá guerreira, ligada aos mortos. Também é guardiã das tumbas dos cemitérios e símbolo da fidelidade conjugal.
    • Euá, outro orixá feminino dos cemitérios, encarregada de entregar os cadáveres a Oya Iansá. Esposa de Boromú. Orixá de grande respeitabilidade, na sua presença ninguém pode desnudar-se, falar alto ou comportar-se de maneira rude.
    • Naná Burucu é a divindade misteriosa e terrível que vive e forma de serpente em mananciais, rios e pântanos.
    • Babalú Ayé, orixá da varíola, da lepra, das doenças venéreas e das afecções de pele em geral.
    • Ajé Chaluga, orixá da saúde, das primeiras riquezas e da sorte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário.
Assim que o ler, o publicarei e o respoderei.
Volte para saber a resposta beijos!